Fechar

Login

20

Jul

2017

Visita Pastoral de D. António Couto em Felgueiras

Entre os dias 11 e 16 de julho decorreu a Visita Pastoral do nosso Bispo, D. António Couto, à paróquia de Felgueiras, da Zona Pastoral de Resende.

D. António Couto veio para “ser no meio de nós a transparência pura de Jesus Cristo, e ajudar a encher de mais amor e alegria a família de Deus”, como tinha referido na sua Carta previamente enviada para preparação da Visita Pastoral.

O programa começou no dia 11 com a visita aos povos de Ferrós, Pimeirol e Beirós, onde o Senhor Bispo fez questão de cumprimentar, um a um, todos os habitantes residentes que o acolheram com flores e saudações de verdadeira alegria e comunhão. Apesar de serem aldeias profundamente desertificadas, o nosso Pastor fez questão de salientar que, para ele tal como para Jesus, um simples filho de Deus vale tanto como os milhares dos grandes centros. Em cada uma das capelas locais, D. António dirigiu uma palavra de saudação aos fiéis que o ouviram atentamente, fez-se um breve momento de oração pelos presentes e ausentes, pelos antepassados e pelos que por razões diversas tiveram de deixar aquelas terras à procura de melhores condições de vida. Seguiu-se a administração do Sacramento da Santa Unção a todos quantos, fragilizados pela idade ou pela doença, quiseram acolher esta “carícia de Deus”, como referiu o nosso Bispo, e deixarem-se tocar pelo dom da graça que Deus concede àqueles que Lhe abrem o coração. Depois, teve lugar a distribuição da sagrada Comunhão a todos os que, reconciliados com o Senhor, quiseram alimentar-se à mesa da Eucaristia. Este encontro não terminaria sem a bênção do nosso Pastor para todos aqueles que viveram este momento com profunda alegria e espírito de comunhão eclesial.

 

Esta visita cumpriu assim o que o Papa Francisco nos pede como espírito da verdadeira evangelização – “ir ao encontro das periferias onde se encontram os irmãos mais sós e necessitados”. Foi assim que ela teve um significado especial para estes povos que tiveram oportunidade de expressar essa alegria ao Senhor Bispo, referindo que nunca tinham tido a presença de um Bispo nas suas localidades. Os idosos que não se puderam deslocar às capelas não deixaram de receber a visita do seu Pastor que a todos levou um sorriso, uma palavra amiga e reconfortante em nome do Verdadeiro e eterno Pastor que também lhes levou pela comunhão eucarística.

Neste dia, o Senhor Bispo visitou ainda o ponto mais alto desta comunidade, a capela de S. Cristóvão, onde foi recebido gentilmente pelos membros da Associação local “Amigos de S. Cristóvão”. Depois de breves momentos para desfrutar da paisagem, a Associação brindou-nos com um delicioso almoço servido amavelmente no local com esta panorâmica verdadeiramente encantadora. No fim do almoço o presidente da Associação, Nuno Pereira, ofereceu ao Senhor Bispo uma lembrança alusiva ao momento.

Durante a tarde visitamos a Fábrica Águas de S. Cristóvão que emprega mais de três dezenas de pessoas. O Senhor Bispo visitou as instalações e os seus trabalhadores e admirou todo o processo de fabrico de embalagens, enchimento e embalamento das águas, sempre bem elucidados pela Engenheira Sandra Oliveira, responsável técnica da Empresa, que gentilmente nos acolheu e acompanhou durante a visita.

Em seguida, o Senhor Bispo visitou as obras de reconstrução da antiga residência paroquial que se iniciaram recentemente e irão reconverter as antigas instalações, além de um espaço de residência paroquial, também para Centro Paroquial, espaço de formação e catequese, apoio social e convívio e espaço para velar os defuntos. Esta obra é resultado de uma candidatura co-financiada pela Secretaria de Estado das Autarquias Locais, pela Câmara Municipal, de Resende, pela União de Freguesias de Felgueiras e Feirão e pela Paróquia. Depois de uma breve apresentação do projeto feita por um dos autores, o senhor Engenheiro Acácio de Almeida, o Senhor Bispo benzeu as obras que acabam de iniciar, desejando que decorram bem e que possam servir a população local que, pelo facto de ser reduzida, merece ter as condições que outras populações mais numerosas usufruem. Estiveram presentes o Senhor presidente da Câmara Municipal, as Senhoras Vereadoras, o Senhor presidente da Junta, membros do Conselho Económico Paroquial e demais pessoas da Comunidade, bem como o Empreiteiro, Sr. Fernando Pinto e seus trabalhadores.

D. António Couto foi, em seguida, recebido na Junta de Freguesia pelo senhor presidente, Marco Matos, que agradeceu a sua visita e salientou a estreita relação existente entre a Junta de Freguesia e a Paróquia, sempre baseada no respeito e cooperação para melhor serviço dos Felgueirenses. Como gesto de acolhimento entregou ao Senhor Bispo uma lembrança em nome da comunidade local. Um dos párocos agradeceu o acolhimento e salientou a importância das parcerias com a Junta de Freguesia, com a Autarquia e com o Governo Central para a concretização de um desejo já antigo de preservar o património paroquial e o colocar ao serviço das pessoas e que, de outra forma, não seria possível dado o reduzido número de pessoas residentes. O Senhor Presidente da Câmara, Dr. Garcês Trindade, tomou a palavra para salientar e enaltecer a Visita Pastoral que Senhor Bispo tem vindo a fazer ao nosso Concelho, bem como a importância que dá à visita aos mais idosos, doentes e sós, valorizando a pessoa humana pela sua dignidade. Salientou ainda a serenidade e interioridade que as suas palavras sempre transmitem. Concluiu, valorizando a importância da obra que se está a realizar do Centro Paroquial e que é uma mais-valia para Felgueiras, como algo que fica para as próximas gerações, valorizando aqueles que pensam em primeiro lugar nas pessoas e no seu futuro. Reforçou a importância da parceria conseguida entre as várias instituições envolvidas e a disponibilidade da Câmara Municipal em cooperar para esta concretização. O Senhor Bispo encerrou estas breves comunicações agradecendo a receção e valorizando a importância da união de todos os esforços institucionais para valorizar as pessoas e, principalmente, neste Interior Profundo onde as necessidades são mais visíveis e reais.

O dia terminou no Centro Comunitário com a celebração da eucaristia e o jantar-convívio. A eucaristia celebrativa da Festa de S. Bento, padroeiro da Europa, incluiu também o sacramento da unção dos doentes, contou com a participação de utentes, funcionários, corpos gerentes da instituição e grupo coral de Resende que animou liturgicamente a celebração. O Senhor Bispo, durante a homilia, salientou a importância de cada um dos utentes deste Centro Comunitário como sendo as pessoas mais importantes ali presentes por nos proporcionarem a possibilidade de viver o amor gratuito e dedicado quando nos debruçamos sobre eles para aliviar as suas dores. Baseado na parábola do Bom Samaritano, lembrou-nos que é nosso dever aproximar-nos dos necessitados com o amor generoso e desprendido, porque é o único que vale, porque nos salva. Voltou a frisar o simbolismo do Sacramento da Santa Unção como “caricia de Deus” para os seus filhos mais debilitados, desmistificando o significado errado que durante muitos anos foi dado a este Sacramento. Foram muitos os que sentiram a necessidade de receber esta “carícia de Deus” para enfrentar a vida com mais coragem e a certeza de que Deus está sempre perto dos seus filhos. No fim da celebração o senhor presidente do Centro Comunitário, Engenheiro Jorge Caetano, convidou todos os presentes a partilhar o jantar-convívio que a todos reconfortou em espírito fraterno. Foi um momento de verdadeira festa entre utentes, corpos sociais do Centro Comunitário, autoridades locais, convidados e amigos, à volta do nosso Pastor que para todos teve palavras amigas e gestos de reconhecimento e simpatia.

A Visita Pastoral continuou no sábado, dia 15, pelas 16h30m com o encontro do Senhor Bispo com os seis crismandos que, no dia seguinte iriam receber o Sacramento da Confirmação. O Senhor Bispo procurou consciencializa-los do sacramento que iam receber, do seu simbolismo e da responsabilidade que iriam assumir como confirmados na fé com o selo do Espírito que ficará gravado para sempre nos seus corações e que os deve impulsionar para a missão de partilhar com os seus irmãos os dons recebidos.

Seguidamente decorreu a Assembleia Paroquial com cerca de três dezenas de pessoas que se reuniram para ouvir o nosso Pastor a convidar a todos para a missão. Todos são protagonistas da evangelização e esta é a hora dos leigos. D. António Couto, partindo da sua experiência missionária em África, desafiou a todos a tornarem-se membros ativos e empenhados na evangelização, procurando responder ao apelo do papa Francisco de nos tornarmos uma “Igreja em saída” para ir ao encontros dos nossos irmãos, principalmente dos que mais precisam e vivem sós.

O dia terminou com um convívio paroquial ao ar livre no lugar aprazível do Espírito Santo. À volta da mesa, proporcionou-se um salutar convívio fraternal em que pudemos desfrutar da presença do nosso Pastor de uma forma mais próxima e fraterna – o Pastor com o seu rebanho. O Senhor Bispo foi dialogando com as pessoas que se juntaram em grande número para desfrutar deste momento e se sentirem mais Igreja – família de Deus.

A Visita Pastoral terminou no domingo, dia 16, com a Eucaristia festiva em que se inseriu o Crisma de seis adolescentes. O Senhor Bispo foi recebido na Junta de Freguesia, acompanhado do senhor Vigário Geral, onde se paramentou. Depois foi saudado pelo grupo coral com um cântico apropriado, a que se seguiu uma mensagem de boas-vindas por parte dos adolescentes que iam ser Confirmados e com a entrega de um ramo de seis rosas brancas (uma por cada um deles). O cortejo dirigiu-se para a igreja paroquial entre cânticos convidativos à celebração que íamos viver. O percurso estava tapetado de flores e ladeado de palmeiras simbolizando o acolhimento e a alegria com que recebíamos o nosso Pastor. À entrada da igreja o senhor Bispo beijou a cruz paroquial e demos início à celebração festiva com toda a comunidade reunida.

Na homilia o Senhor Bispo convidou-nos a inclinar-nos sobre as criaturas de Deus e a tratá-las com carinho, sendo os intérpretes da criação no louvor ao Criador. Interpelou-nos para sermos terreno fértil que acolhe a Palavra de Deus e para sermos construtores de uma comunidade viva onde todos se envolvem para cuidar uns dos outros como irmãos. Desafiou, ainda, os jovens crismandos a partilharem os dons que o Espirito semeou nos seus corações e a comunidade a acolhê-los com ternura na continuidade do seu crescimento espiritual. No momento do ofertório a comunidade ofereceu ao nosso Pastor uma toalha de linho tecida e bordada por artesãs locais como símbolo da gratidão em representação da vida das gentes da comunidade.

No fim da eucaristia fomos em romagem ao cemitério rezar pelos nossos irmãos que já partiram e que fizeram parte desta comunidade.

A visita Pastoral terminou com um almoço fraterno com a participação do Senhor Bispo, do Senhor Vigário Geral, dos párocos e dos elementos do Conselho Económico Paroquial.

Esta Visita Pastoral foi mais uma oportunidade para consciencializar toda a comunidade da importância de todos e cada um na evangelização. Numa comunidade tão reduzida e envelhecida, o nosso Pastor deixou-nos o desafio de repartirmos amor, carinho e ternura uns com os outros, indo ao encontro dos nossos irmãos e construindo mais e melhor família de Deus.

 

Pe. José Augusto Marques, in Voz de Lamego, ano 87/36, n.º 4421, 18 de julho 2017