Fechar

Login

09

Mar

2017

CONSELHO DE PRESBÍTEROS | COMUNICADO

Na manhã do passado dia 24 de fevereiro, no Seminário Maior de Lamego, reuniu o Conselho de Presbíteros da nossa Diocese, sob a presidência do nosso Bispo.

Foi-nos pedido para analisar, debater e reflectir assuntos que já tinham sido amplamente discutidos no Colégio dos Arcipretes e nas reuniões de Arciprestados e Zonas Arciprestais:

 

  • ausência de alguns sacerdotes na vida pastoral da Diocese;
  • lançamento do Centro de Estudos Fé e Cultura (CEFÉCULT);
  • como passar de uma pastoral convencional e tradicional para uma Igreja evangelizadora, em “saída”, que vá ao encontro de todas as criaturas.

Quanto à ausência sistemática de alguns sacerdotes, nos encontros de índole pastoral e de formação,  as razões apresentadas são múltiplas e diversificadas,  desde as pessoais, ao desinteresse, ao puro comodismo, por estarmos absorvidos por outras ocupações e também por um certo clima de impunidade. De qualquer forma pudemos concluir que a razão mais importante prende-se com a falta de identidade sacerdotal. É necessário imprimir um novo vigor e entusiasmo à nossa adesão a Jesus Cristo crucificado  e ressuscitado, porque aqui reside o núcleo fundamental da nossa fé. Daqui brota a seiva que deve percorrer todo o tecido presbiteral. Só desta forma encontraremos o sentido da nossa vida cristã e sacerdotal e do trabalho que desenvolvemos a favor dos nossos irmãos. Pede-se, por isso, a todos os sacerdotes que contribuam, através do encontro, da partilha, da oração e do convívio são e fraterno, para a reaproximação de quem está ou se sinta mais afastado.

 

No que respeita ao Centro de Estudos – Fé e Cultura, que tem a sua sede no Seminário Maior de Lamego, estão dados os primeiros passos para ganhar vida. Foi já constituída a equipa que orientará o CEFÉCULT: 3 sacerdotes (Padre Joaquim Dionísio, Padre Manuel Gonçalves e Padre Diamantino Alvaíde) e 3 leigos,  Professor João Ferraz (Ensino Religioso), a Professora Isolina Guerra (formada em catequese e colaboradora nesta área, em Almacave) e a Professora Maria do Céu (Professora de EMRC na EB2/3 em Lamego e que está, também, ligada ao Secretariado da Juventude e aos Cursos de Cristandade).

O inquérito de acesso à referida "Escola" está disponível on-line e foi também entregue aos Arciprestes. Quanto aos destinatários, todos são bem vindos: “gente que anda à procura” pode encontrar aqui um meio de aprofundar e viver a sua fé. Pretende iniciar-se esta formação no próximo ano pastoral 2017/18. A equipa está receptiva a novas sugestões e propostas.

Chegou a hora da Evangelização! Os presbíteros presentes disseram ao seu Bispo que existe grande abertura e aproximação sempre que se realizam as visitas pastorais, pois o “rebanho” tem apreciado muito a missão do seu “Pastor” sempre que vai ao seu encontro.

É preciso abrir as portas à juventude da nossa Diocese para que o trabalho desenvolvido pelo Diácono Luís Rafael e toda a equipa do secretariado encontrem nos párocos e em todos os agentes da pastoral acolhimento e boa vontade para colaborar nas iniciativas propostas, concretamente a jornada diocesana da juventude, a realizar na Zona Arciprestal de Cinfães.

As palavras de ordem são, pois, ir e sair. Ir onde somos precisos e sair de um certo marasmo e rotina que não nos deixa rasgar caminhos e rumos novos. Nesta perspectiva, dado que a casa de S. José passa a ficar afecta ao Centro Diocesano, passando a funcionar como Lar de acolhimento para Idosos, é necessário e urgente adaptar o nosso Seminário Maior para responder aos desafios e às necessidades do tempo presente e futuro. Continuará a servir a Diocese na formação dos futuros sacerdotes e será adaptado também para residência sacerdotal, alojamento de curta e longa duração e ao serviço da pastoral e da formação. O senhor Bispo pediu, por isso, o empenho e a colaboração de todos, colocando todas as energias em função desta nobre causa que a todos nos deve dizer muito.

Ficou bem patente, para todos, a necessidade urgente de agilizar os canais de informação diocesanos, de forma a que todos se sintam corresponsáveis, empenhados e comprometidos em levar ao chão de todo o espaço diocesano as decisões que vão sendo tomadas e que dizem respeito a todos. É muito importante que todas os fiéis tenham a oportunidade de se pronunciar sobre os assuntos que vão sendo debatidos e, nesse sentido, este Órgão irá fazer chegar a todos os sacerdotes informação mais detalhada.

O senhor Bispo agradeceu toda a reflexão já feita e mostra-se aberto a ouvir sugestões que o ajudem a desenvolver o caminho traçado na Carta Pastoral.

 

Pe. António José Ferreira

 

in Voz de Lamego, ano 87/17, n.º 4402, 7 de março de 2017