Previous Next

Santa Eufémia de Pinheiros

Este ano, alterámos rotinas, adiámos, suspendemos e remarcámos encontros, reuniões, festas, nos diferentes domínios e setores da sociedade, no desporto, na cultura e na vivência religiosa, nas escolas e nas povoações, no comércio e na indústria, nos serviços sociais e administrativos.

A Festa e Romaria de Santa Eufémia de Pinheiros, em Tabuaço, tem sido, ao longo dos anos, uma referência para as paróquias do concelho e para paróquias vizinhas dos concelhos de Armamar e de Moimenta da Beira, com peregrinos e romeiros, que se deslocam, sobretudo no dia 16 de setembro, para rezar, para se confessarem, para participarem na Eucaristia solene e na procissão. Alguns, em jeito de romaria, almoçam logo depois da procissão findar, confraternizando com familiares e amigos, revendo histórias e amizades.

Para lá da dimensão mais religiosa, sendo considerada a última festa (popular) do verão, ajunta algumas dezenas de pessoas, boa música, comes e bebes. Alguns comerciantes aproveitam para ganhar mais uns trocados. Este ano não foi possível.
Muitos dos nossos emigrantes, e naturais dispersos pelo país, regressavam a Pinheiros nesta altura. A freguesia enchia-se de vida, de alegria, de cor e de encontros que fazem bem à alma e ao coração. Mas haveremos de cá voltar, se Deus quiser e as circunstâncias o permitirem.

Ainda assim, respeitando as orientações da DGS e as normas da CEP, a festa realizou-se, mais intimista, mais espiritual, mas na esperança feliz de que Deus, por intercessão de Santa Eufémia, nos permitirá viver sob a Sua bênção e encontrar-nos outras vezes. Como preparação, a Novena, entre os dias 7 e 15 de setembro, com a recitação do rosário, em honra de Nossa Senhora, que nos ajuda a ser discípulos, e nos desafia a fazer o que Jesus nos mandar, a celebração da Eucaristia e a reflexão, partindo da liturgia da Palavra de Deus, exemplificado com a vida de Santa Eufémia que, como Maria, soube acolher, amar, gerar, viver Jesus Cristo, e testemunhá-l’O nas circunstâncias adversas da vida.

O dia de Santa Eufémia contou com a celebração de duas Eucaristias, uma pela manhã cedo e outra na hora tradicional, por volta do meio-dia, com transmissão online na página da paróquia no Facebook. Na pregação, o Pe. Miguel Peixoto fez-nos uma visita guiada à Palavra de Deus, mormente à Epístola de São Paulo aos Coríntios (1 Cor 12,31 – 13,13), onde se acentua a dimensão da caridade que nos faz ser verdadeiramente discípulos de Jesus. Santa Eufémia vive esta caridade na firmeza com que anuncia o Evangelho, na coragem diante do juiz, no testemunho de fidelidade a Jesus. Martírio significa testemunho. Eufémia tem pressa em dar testemunho de Jesus. Sabendo que será morta, não se importa em ser a primeira a dar esse testemunho com a própria vida. Nenhuma tortura a demove, nem as promessas, nem as seduções. Não quer que o estatuto que tem, de família nobre, lhe traga benefício em relação aos outros cristãos que estão diante do juiz perseguidor. No fundo, sabe que se o grão de trigo não morrer fica só, mas se morrer dará muito fruto. Foi a opção de Jesus: dar a sua vida por amor, até ao fim. Foi a opção de Nossa Senhora: ser tudo para Jesus. Foi o caminho escolhido por Santa Eufémia: viver na fidelidade a Jesus e dando testemunho d’Ele em todos os momentos, também diante do juiz, aproximando-se da morte (física), sabendo que a aguardava na glória a vida em Deus.

No segundo dia, a festa tem como invocação Santa Bárbara. Não havendo lugar à procissão, o encontro foi marcado para o espaço frontal à Capela de Santa Bárbara, para a celebração da Santa Missa, contando com alguns jovens de Tabuaço, tal como na véspera, na animação coral. Se no dia principal, acorrem pessoas de diferentes paróquias, neste segundo dia, a festa é sobretudo para os naturais de Pinheiros, ainda que venham algumas pessoas das paróquias mais próximas. O pregador, Pe. Miguel, iniciou a sua reflexão a partir da liturgia da palavra de Deus, para logo ilustrar a Palavra com a vida de Santa Bárbara, sublinhando que cada um tem um caminho, e, como ela, todos podemos ser santos, na fidelidade a Jesus Cristo, não se deixando enredar pela idolatria. Um dos textos citados pelo pregador foi a exortação apostólica do Papa Francisco, Gaudete et exsultate (alegrai-vos e exultai), na qual o Santo Padre fala dos santos ao pé da porta e como podemos ser santos, na família, no trabalho, ou, por exemplo, como uma mãe quando cuida da casa e especialmente a tratar dos filhos. Santa Bárbara escolhe a verdade do Evangelho e, tal como Santa Eufémia, também na adversidade escolhe Jesus. Ou como São João Paulo II ou Santa Teresa de Calcutá, que escolheram um caminho de santidade, na firmeza da fé em Jesus, testemunhando-O com alegria e servindo-os nos irmãos.

 

in Voz de Lamego, ano 90/41, n.º 4575, 22 de setembro de 2020

A acontecer...

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31

Notícias Recentes

Pesquisar

Redes Sociais

Fale Connosco

  254 612 147

  curia@diocese-lamego.pt

  Rua das Cortes nº2, 5100-132 Lamego.

Contacte-nos

Rua das Cortes, n2, 5100-132 Lamego

 254 612 147

 curia@diocese-lamego.pt

 254 612 147