Previous Next

Carolina Cardoso – jovem e promissora cantora da nossa região

Carolina Cardoso é uma jovem que tem dado passos importantes no mundo da música. Queremos partilhar com os leitores da Voz de Lamego um pouco dos passos dados na música, bem como projetos que tem entre mãos. A Carolina tem 17 anos, é estudante do secundário, na Escola Latino Coelho, 12.º Ano, no curso de Ciências e Tecnologia. É natural de Tarouca, onde vive, mas os seus pais e irmã são naturais de Cinfães. Cedo despertou para a música e quer que esta preencha a sua vida profissional. Começou desde muito cedo, no ATL da Santa casa da Misericórdia de Tarouca. Frequentou a Academia de Música da Câmara Municipal de Tarouca em guitarra clássica, participou ainda na Gala dos Pequenos Cantores, liderada pelo Professor Quintela e é vocalista na Orquestra Ligeira do Vale do Varosa, referência do Município. Gosta de escrever e compor, tanto em Inglês como como em português. Tem como principal veio de inspiração o sentimento do momento.

Voz de Lamego - A alguém que não a conhece, como te apresentarias?
Eu sou a Carolina Cardoso, uma jovem apaixonada pela música e com grandes sonhos por realizar. Tenho a música como o meu refúgio, tanto nos momentos de tristeza como nos de alegria. Posto maior parte do meu conteúdo no Instagram e no YouTube: https://youtube.com/channel/UCDRbNpNegXJFKTHBxFiGoYw. Aqui faço um apelo a todos os leitores de Jornal para irem ao meu Canal, ouçam e, se gostarem, subscrevam, pois isto é muito importante para mim e dá-me alento para continuar na construção do meu caminho.

VL – Quando é que começou o gosto para a música? Quando é que começaste a cantar?
Quem é que te pegou este gosto para a música?
O meu gosto pela música começou desde muito pequenina por volta dos meus 3 ou 4 anos. Comecei a cantar nessa mesma altura e tudo isso devido à minha irmã, que como canta fado e olhem que canta muito bem…, acabávamos por fazer karaoke imensas vezes. Por isso penso que maioritariamente foi ela que me pegou todo este gosto pela música.

VL – Qual o caminho até à inscrição e participação no “Tarouca Tem Talento”? Que guardas dessa participação?
Em 2018, a minha irmã recebeu uma mensagem do senhor que estaria a gerenciar todo esse programa e ela decidiu inscrever-me e dar-me asas para eu mostrar a minha música e o que eu sei fazer de melhor. Cantei um original e claro, com ela, porque foi ela que proporcionou todo aquele momento, acabei por ganhar. Guardo sem dúvida todos os momentos dessa noite, todos os sentimentos e toda a alegria que senti.

VL – Depois dessa participação, houve algumas portas abertas ou continua a ser custoso entrar neste mundo da música?
Continuo a achar que é muito custoso entrar no mundo da música, um mundo bastante difícil de encarar.
Abriu-me alguns outros caminhos, mas como tudo na vida, nada é fácil e foi preciso continuar a minha caminhada. Recebi alguns convites, a nível local e também fora do Concelho. Destaco o convite para animar a Gala Miss Tarouca 2018 e o evento “Moda Cinfães”, também em 2018.

VL – No contexto da pandemia, lançaste o primeiro single “What is real love". Está a chegar às 13 mil visualizações. Quais eram as expectativas?
As minhas expectativas nunca foram muito altas e sem dúvida que superou as minhas espectativas. Foi lançado em plena pandemia e é difícil saber o que aconteceria em outro contexto. Queria agradecer a todos os que ajudaram no lançamento do meu single. À minha irmã Márcia Cardoso, ao produtor Mário Monteiro, também um lamecense, ao Tomás, do Estúdio, e ao Miguel que fez o vídeo.

VL – Como nasceu esta música, tem alguma história por detrás ou simplesmente um momento de inspiração?
Eu escrevo o que sinto no momento, e esta música reflete todo um sentimento de desilusão e tristeza que estaria a sentir, devido a relações de amizade sobretudo.  

VL – Que lugar para a família neste teu sonho? Sonho que se vai concretizando...
A minha família é um pilar muito importante, faz parte da minha vida e irá fazer parte de todo este meu sonho, porque sem ela eu não seria nada!

VL – A tua área de formação é Ciências e Tecnologias. Não tem muito a ver com música, pelo menos diretamente. Porquê esta escolha?
Eu nunca quis realmente entrar neste curso mas apenas o fiz para que um dia, se a música não resultar, eu possa ter algo com que me sustentar e que possa ser sobretudo independente.

VL – É compatível com a música ou uma opção caso na música não resulte como expectável?
É compatível com a música, mas se um dia esta resultar irei abandonar todo este meu caminho nesta área que escolhi. Porque para mim a música está em primeiro lugar.

VL – Depois deste primeiro single, quais os passos que pretendes dar a seguir?
Irei lançar muito mais conteúdo e nunca o vou parar de fazer, porque o que importa é realmente não desistir!

VL – Pronta para abraçares a música como vocação, caminho e profissão ou ainda a fazer uma melhor prospeção do mercado e da resposta do público?
Pronta nunca estarei, mas é um grande sonho meu viver apenas da música.

VL – Se não estivéssemos em pandemia, qual teria sido o trajeto, por exemplo, deste single? Que poderemos esperar de ti quando a pandemia estiver debelada?
Não teria sido diferente, até porque o videoclip foi gravado mesmo antes da pandemia. Podem esperar de mim muitas mais músicas e talvez mesmo concertos!

VL – Que mensagem queres deixar a alguém que queira começar uma carreira na música?
A mensagem que eu deixaria seria a seguinte:
Vais entrar num mundo difícil que por vezes te vai desapontar. Mas o importante é manteres sempre a cabeça para cima e nunca desistires. Por mais quedas que dês tens de te levantar e fazer sempre o teu melhor! Não te preocupes com a opinião que te rodeia e segue o caminho que queres seguir, dá o melhor de ti e que te faça sentir bem e vive cada momento e cada minuto ao máximo! O importante é ser feliz!

in Voz de Lamego, ano 91/19, n.º 4601, 23 de março de 2021